sexta-feira, 14 de outubro de 2011

RAYANE, A FADA

RAYANE, A FADA

Numa tarde primaveril, nasceu Rayane. Era um presente para seus pais. Uma criança muito tempo esperada naquele lar simples.
Rayane tinha uma peculiaridade: era um bebê fada.
Para se entender bem essa estória, vamos voltar no tempo...

Certo dia, Nicolau e sua esposa estavam a beira do riacho pertinho de sua casa, quando escutaram um pedido de socorro...
Nicolau rapidamente prestou atenção de onde vinha o grito. Ele e sua mulher, Gina, correram até a margem e viram uma linda fadinha se afogando. Rapidamente trataram de puxá-la e tiraram com sucesso a fadinha (de asinhas totalmente molhadas) do riacho. Eles a levaram para dentro de sua casa, e lhe deram um chocolate quente para não ficar resfriada, enquanto suas asinhas secavam para que ela pudesse levantar voo novamente, e retornar para o REINO DAS FADAS, onde moravam todas as fadinhas...

Para se certificarem de que ela estaria bem, foram com a pequena fada até a entrada do Reino, um portal entre os dois mundos: Era embaixo de uma queda d´água, por onde eles também passaram, à convite da fadinha, ela queria que conhecessem sua mãe, a RAINHA DAS FADAS.

Chegando do outro lado da cachoeira, avistaram um mundo lindo de cores, flores e luzes.
Fadas de todas as idades, voavam de um canto a outro, felizes com suas atividades diárias. As mais novinhas brincavam de roda, cantavam alegremente.
Dirigiram-se até o palácio da rainha mãe.
Ao entrar, a fadinha contou para a mãe o acontecido.
A rainha mãe das fadas, disse então dirigindo-se ao casal:
_ Realizarei um desejo, como prova da minha gratidão. Pensem o que mais querem e digam!
Gina e seu marido, só tinham uma vontade, ela então não pestanejou e disse em voz trêmula de emoção:
_ Queremos uma criança, pois não temos filhos até hoje...
_ Que seja, então! A partir desta noite uma criança será gerada pelo amor de vocês, e pela magia das fadas.
Colocou a mão no ventre de Gina, e com sua varinha de condão, tocou-a.
Eles se retiraram agradecendo a oportunidade de ter conhecido o Reino e o presente que viria em breve.
A fadinha acenou com a mão se despedindo do casal, e a rainha lhe disse baixinho:
_ Eles só não sabem que será uma fadinha como você, minha filha...
*********************

Naquela noite mágica a criança foi concebida, e depois de meses, Rayane estava nos braços de seus pais.
Ela crescia bonita, saudável, feliz para alegria do lar. Mas ao longo do tempo, os pais perceberam que ela tinha a magia das fadas, pois realizava pequenos 'encantamentos' apenas com o pensamento!
Aos 15 anos, ela pediu ao pais, que deixassem que vivesse com as fadas, pelo menos por um tempo, para adquirir mais conhecimento.
Eles ficaram tristes com o desprendimento da filha, e Nicolau respondeu:
_ Rayane, você é a luz dessa casa, além do mais, é menor de idade e tem que viver conosco. Não deixaremos que se vá, e eu e sua mãe, ficamos tristes com esse seu pedido...
_ Está bem, papai. Foi só uma vontade, mas entendo. Desculpem-me por isso.
O assunto foi encerrado ali.
Mas, aos 18 anos, as asas de Rayane, surgiram inesperadamente. Ela não poderia mais esconder de outras pessoas, sua identidade de fada, pois já se via o volume nas roupas que vestia...
Foi quando ela voltou ao assunto:
_ Mãe, pai, acho que terei que ir até o REINO, porque preciso que a rainha mãe, me oriente... Não posso viver entre vocês como fada, seria convertida em objeto de estudo. Temo que desta vez eu tenha mesmo que partir, pois não há outra solução.
_ Vá Rayane. Já é maior de idade, siga seu caminho. Deixe que seu coração te guie e achará a entrada do Reino, embaixo da cachoeira. Nós ficaremos aqui, aguardando notícias suas.
Os pais a abraçaram. Gina deu-lhe um xale tricotado, de presente, para cobrira as asas, antes da partida.
Acenaram na porta da casinha para a filha, que já ia dobrando a estradinha que levava ao riacho...
****************

Rayane passou pelo portal e se encantou com o que viu, tal qual seus pais, na única vez que estiveram ali.
Uma fada criança veio recebê-la, e levantando-a pela mão, Rayane com o impulso, realizou seu primeiro voo, deixando o xale cair no chão...
Ficou felicíssima, com tal acontecimento!
A fadinha a levou até o palácio. Quando Rayane adentrou, viu a rainha mãe das fadas no seu trono. Fez uma reverência e disse:
_ Rainha, sou Rayane, a filha de Gina e Nicolau. Vim até aqui, porque considero meu lugar agora, minhas asas nasceram.
_ Sei quem você é, minha filha. Te acompanho desde o nascimento, no meu espelho mágico, que me mostra o que eu quiser... Sabia que viria.
_ Oh, se é assim obrigada por deixar ficar.
_ Rayane, fique, aprenda tudo e siga seu coração.
Ela fez nova reverência, e seguiu com a fadinha que a trouxera, para saber onde ficaria acomodada...
*************
Meses se passaram desde esse dia.
Rayane aprendera as canções de magia das fadas, a voar sem medo, ganhou sua própria varinha de condão... Mas, dentro de si, uma saudade dos pais batia forte!
Foi ter com a rainha novamente:
_ Rainha, estou aqui quase um ano, sinto falta de meus doces pais... Peço permissão para voltar para casa. Mas o problema, é o mesmo de quando aqui cheguei: Minha asas...
_ Vá, filha. a partir de agora, não terá mais asas. Quando voltar, conhecerá um bom rapaz, se casará e terá uma filha, mas não se preocupe: Ela não será fada, como você...
Dito isso, tocou as asas de Rayane, que sumiram instantaneamente!
Ela agradeceu e deixou o choro cair, mas era de felicidade!
As fadinhas, fizeram uma roda em torno de Rayane, cantando em despedida...
Ela atravessou o portal da cachoeira, desta vez com o coração aliviado: Podia viver com seus pais sem medo.
A rainha deixou os poderes de fada com Rayane, para que ela realizasse pequenos desejos e ajudar quem precisasse nesse mundo de cá...

Fátima Abreu

Ler mais: http://www.luso-poemas.net/modules/news/article.php?storyid=197627#ixzz1We6wuUGG
Under Creative Commons License: Attribution Non-Commercial No Derivatives

Nenhum comentário:

Postar um comentário